HIGHLIGHTS SOGESP 2019: Cuidados pré-natais para uma experiência positiva

Recomendações da Organização Mundial de Saúde (WHO) no pré-natal para uma experiência de gravidez positiva: evidências mostram que mulheres, independente do grau de recurso disponível, valorizam uma experiência positiva na gestação.

O guia padronizado pela Organização Mundial de Saúde abordado no FIGO, Congresso Internacional de Ginecologia e Obstetrícia realizado no Rio de Janeiro em 2018, ressalta um tema recente: o Pré-Natal em Grupo, que aborda a experiência centrada na mulher.

Este modelo traz como vantagens: reduzir o tempo de atendimento para o profissional, aumentar o tempo de atendimento da mulher, menor tempo de espera, menor desgaste do profissional e maior qualidade da informação transferida (por não precisar repetir diversas vezes a mesma orientação). As mulheres se apoiam mutuamente e ficam mais à vontade em discutir suas queixas, centrado na necessidade da gestante, caráter multidisciplinar, etc.

Por exemplo, ao levantar a discussão sobre o que é normal e o que não é, durante a gestação, ao conversar sobre boas práticas de saúde e cuidados, ou até mesmo dúvidas que as gestantes ainda não se depararam, mas que em breve irão acomete-las. Dessa forma, as mulheres ficam mais tranquilas com relação ao processo que estão passando, e o tempo de consulta é otimizado, possibilitando uma maior cobertura de cuidados à outras gestantes.

No guia, também foram abordadas as queixas mais frequentes no decorrer do pré-natal:

  1. Dispneia
  2. Dor Lombar
  3. Constipação
  4. Náuseas e vômitos

Dispneia

Em torno de 60 a 70% das gestantes se queixam de dispneia ao longo do Pré Natal. Deve-se constituir um diagnóstico de exclusão (afastar doenças subjacentes, e sintomas associados como tosse, febre, etc). As orientações devem ser: reduzir a ansiedade, evitar grandes esforços, repouso em decúbito lateral, buscar posição confortável para dormir, evitar ganho de peso excessivo, evitar ambientes abafados e quentes.

Dor lombar

Ocorre em torno de 50% das gestantes por sobrecarga articular e uma lordose acentuada com uma maior frouxidão ligamentar. Tem como fatores de risco: dor pré existente, multiparidade, índice de massa corporal aumentada. As intervenções sugeridas para amenizar este sintoma são: atividade física regular, sapatos de saltos baixo (não planos), evitar camas muito macias, sentar em cadeiras com bom suporte nas costas, dormir em decúbito lateral com travesseiros entre os joelhos, apoio para os pés ao sentar por período prolongado, repouso e compressas quentes ou frias.

Constipação

Segunda queixa gastrointestinal mais frequente, 40% das gestantes referem o sintoma durante a gravidez. Pode prejudicar o assoalho pélvico, aumentando risco de prolapso de órgãos pélvicos. Orientações Gerais: ingerir 2 a 3 litros de água, manter uma dieta rica em fibras, praticar atividade física.

Náuseas e Vômitos

Mais frequente no primeiro trimestre (em torno de 70%), mantém-se acima de 20 semanas em um quarto dos casos. A Hiperêmese Gravídica, que se apresenta como um quadro mais grave associado a desnutrição, desidratação e distúrbios hidroeletrolíticas, ocorre em 2 a 3% dos casos. Aconselhamento dietético: dieta fracionada, alimentos ricos em carboidratos e pobres em gordura, alimentos secos, alimentos frios sem odor, consumir produtos à base de gengibre. A acupressão também pode ajudar no alívio dos sintomas.

 

Acupressão: Compressão do ponto P6 (3 dedos proximal ao punho)

 

O guia, além de definir as condutas nos sintomas mais frequentes, fornece padronização dos exames a serem solicitados ao longo do pré-natal e aborda temas de nutrição e suplementação vitamínica recomendadas para a gestante.

Para acesso ao guia da Organização Mundial da Saúde, acesse o link: http://bit.ly/guiaoms

Aula ministrada pelas Dras. Roseli Mieko Yanamoto Nomura e Marilza Vieira Cunha Rudge, e conteúdo comentado pela Dra. Ana Carolina Gabina Lazari

Referências: WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. WHO recommendation on antenatal care for positive pregnancy experience. Geneva: WHO; 2016 [cited 2018 Mar 25].

CONTRAINDICAÇÃO: PACIENTES COM PROBLEMAS NA VESÍCULA BILIAR. INTERAÇÃO MEDICAMENTOSA: O ZINGIBER PODERÁ INTERFERIR COM HIPOGLICEMIANTES ORAIS. Gengimin® (Zingiber officinale Roscoe). Apresentações: Comprimidos revestidos – embalagem contendo 15 comprimidos. Indicações: indicado para profilaxia de cinetose (náusea/enjoo causados por movimento) e náuseas pós-cirúrgicas. M.S: 1.0390.01850. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Dequadin® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. Farmoquímica S/A. CNPJ 33.349.473/0001-58. SAC 08000 25 01 10. Para ver o texto de bula na íntegra, acesse o site www.fqm.com.br.